quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Feras do instrumental celebram o 5º Feminsap às margens do Rio Amazonas

Serão 10 shows em três dias de evento. Uma mistura de acordes de múltiplos instrumentos em uma diversidade de timbres e ritmos, com 5 atrações amapaenses, 3 participações de músicos do Pará, 1 apresentação de São Paulo, e o show com o carioca Arthur Maia e Banda.
 
Em sua 5ª edição, o Festival de Música Instrumental do Amapá (Feminsap) vem crescendo a cada nova versão, afirmando sua vocação de valorizar e promover essa música plural, gratuitamente. Este ano, a mostra ocorrerá entre os dias 24 e 26 de outubro, com a participação de músicos da terra e atrações nacionais, no tradicional Norte das Águas, que tem como cenário o maior rio do mundo, o Amazonas.
 
Com direção geral de seu idealizador, o músico, cantor e compositor de múltiplas facetas, Finéias Nelluty, o Feminsap surgiu em 2008 com a missão de formar novos públicos do instrumental, levar a linguagem rítmica, incrementada por diferentes instrumentos, para a bagagem dos jovens e de ouvidos dispostos, e oportunizar aos amantes da boa música um espaço direcionado a esse estilo, que é cheio de outros estilos integrados, onde o clássico, o jazz, as batidas frenéticas, os sons ácidos e românticos, misturam-se em perfeita harmonia, e não raramente, com os sotaques e ritmos das caixas do Marabaixo, do Batuque, e de tantas outras referências nortistas.
 
E foi a continuidade do Feminsap, a cada ano, que o tornou mais forte, um evento de peso tão marcante para Macapá, que não foi esquecido pelos músicos e por um público fiel, que percebe a importância de um evento dessa natureza para a cidade.
 
“A efervescência de grupos instrumentais é crescente, e o público é cada vez maior, ele cresce na mesma proporção. A paixão pelo instrumental me leva a promover cada ano com mais satisfação este momento que é de encontro entre grandes músicos, de movimentação cultural, de espaço para reunir quem gosta de ouvir o bom som, e de mostrar que o instrumental no estado tem seu público e movimenta a cadeia produtiva da música, numa cidade sem tradição nesta área”, comenta Finéias Nelluty.
 
O resultado foram cinco edições seguidas, nas quais já passaram feras como Ademir Junior – sax, Brasília (DF); Moisés Alves – trompete, Brasília (DF); Rafael Barata – baterista, Rio de Janeiro (RJ); Thiago Espírito Santo – baixista, São Paulo (SP); Vitor Gonçalves – pianista, Rio de Janeiro (RJ); Bruno Cardoso – pianista, São Paulo (SP); Luiz Mauro Filho – pianista, Porto Alegre (RS); Cuca Teixeira – baterista, Rio de Janeiro (RJ); Ricardo Baumgartem – baixista, Porto Alegre (RS); Kiko Freitas – baterista, Porto Alegre (RS); DileanMonpher – tecladista, Amapá; Dell – baterista, Amapá; Rogério Aslan – guitarrista, Amapá; Tom Campos – guitarrista, Amapá; Ney Conceição, Israel Cardoso (AP), Fábio Costa (AP) e tantos outros.
 
O resto aconteceu naturalmente. E neste ano, durante três dias e em 10 shows, os músicos irão misturar acordes de múltiplos instrumentos em uma diversidade de timbres e ritmos. Serão 5 atrações amapaenses, 3 participações de músicos do Pará, 1 apresentação de São Paulo, e o show de encerramento com o carioca Arthur Maia e Banda.O Festival de Música Instrumental do Amapá já faz parte do calendário cultural do estado e veio pra ficar.
 
O 5º Feminsap é uma realização da Equinócio Produções, com direção geral de Finéias Nelluty e apoio cultural do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e Radio Difusora de Macapá (RDM), da Rádio Diário FM, e do bar e restaurante Norte das Águas.
 
Acompanhe a Programação:
 
Dias: 24 a 26 de outubro
Local: Norte das Águas
Horário: a partir das 20h
 
Dia 24.10 (quinta-feira)
Amazona Music (AP)
Tom Campos (AP)
André Nieri (SP)
Adelbert Carneiro (PA)
 
Dia 25.10 (sexta-feira)
Alan Gomes (AP)
Coronaria Jazz (AP)
Gileno Fouquinhos (PA)
 
Sábado 26.10 – encerramento
Israel Cardoso (AP)
Esdras de Souza / Sax Driver (PA)
Arthur Maia e Banda (RJ)
 
 
Rita Torrinha – Assessoria de Imprensa Feminsap 2013
Contato: 8112-6468

terça-feira, 30 de julho de 2013

SESC Amapá traz o grupo de teatro BANDO com espetáculo "Cólera"

O projeto Vamos Comer Teatro, do Sesc Amapá traz o grupo de teatro BANDO, residente na cidade São Paulo-SP, que vem a Macapá para apresentações do espetáculo  “Cólera” e  duas oficinas de teatro, no período de 2 a 10 de agosto deste ano. O espetáculo Cólera é livremente inspirado no conto “Um Copo de Cólera” de Raduan Nassar, fruto do trabalho continuado de pesquisa do BANDO, surgido há 03 anos dentro do curso de Artes Cênicas da USP.

Do espetáculo CÓLERA

   ESPETÁCULO INSPIRADO NA OBRA “UM COPO DE CÓLERA” DE RADUAN NASSAR. AS RELAÇÕES AMOROSAS E SEUS CONFLITOS É O TEMA DA POÉTICA MONTAGEM QUE FUNDE DANÇA, TEATRO E MÚSICA AO VIVO.

   Explorando a poética do movimento como forma de expressão e lançando mão da música ao vivo, o BANDO criou o espetáculo Cólera, destinado ao público adulto. A intimidade entre atores e público é instigada através da proximidade e do olho no olho, tornando a plateia cúmplice dos acontecimentos em cena. Em Cólera, o BANDO realiza um teatro com forte caráter intimista,estabelecendo laços de afeto com a plateia, que é convidada para adentrar no espaço interior do protagonista, proporcionando uma aproximação das sensações trocadas pelos atores. Em Cólera é o corpo quem comunica. O texto é esculpido de forma enxuta, buscando deixar para a poética do movimento, da ação e das imagens a potência de comunicação acerca daquilo que há de mais fundo no desejo humano, o desejo pelo outro, a alteridade como elemento fundamental do afeto e que também se torna causa e consequência dos conflitos entre dois seres que se amam. Em nossa montagem a história não é narrada de forma linear, mas de maneira confusa, cheia de lacunas, desencontros, dúvidas e ambiguidades, característica muito peculiares às relações amorosas, onde o outro é verdadeiramente um enigma a ser desvendado e cuja tentativa é quase impossível.    O texto-base, a novela “Um Copo de Cólera” de Raduan Nassar, é narrado em primeira pessoa por um homem envolvido de maneira passional na história, portanto, em nossa visão, um narrador não confiável. Ele nos relata um encontro com sua parceira em uma chácara afastada da cidade, em um período de poucas horas. 
   A relação revela amores e ódios entre o casal. As leituras e estudos em conjunto nos levaram às seguintes escolhas estéticas: o narrador é bipartido em dois corpos,  afim de evidenciar o embate interno de “Ele”. E, uma vez que a mulher é alguém de  quem se fala, mas que tem poucas possibilidades de participar do discurso elaborado por seu parceiro, a presença feminina foi suprimida da cena. O primeiro rascunho da encenação foi criado no ano de 2011, estando desde então em contínuo work-in-progress. Os ensaios e leituras começaram com exercícios de percepção rítmica. Um desses exercícios, de escuta dos movimentos involuntários do corpo (coração e respiração), foi levado à cena como prólogo da encenação. Após dois meses de preparação, a dramaturga, Sofia Botelho, começou a participar dos ensaios, com propostas de improviso, textos poéticos de sua autoria e registros das improvisações e propostas dos atores. Buscou-se por uma palavramovimento, palavra-ritmo, ou palavra-fluxo. Em “Cólera”, a palavra não é detonadora da ação, já que é o corpo quem estabelece a cena. Desta forma, a palavra entra onde há frestas, brechas, lacunas no corpo e no movimento, não para reforçar o que já está sendo dito, mas para abrir a cena para outras imagens, outros ritmos e climas - abrindo espaço para a imaginação do espectador e gerando uma polifonia de imagensna cena. Os músicos, André Mourão e Tomás Bastos, se introduziram ao processo logo em seguida e atuaram como criadores de imagens sonoras. A proposta musical parte, primeiramente, de uma ideia estética que busca construir uma “audiocenografia” – ou “paisagem sonora” – que contribua para criar determinadas atmosferas para as improvisações e coreografias. Trata-se de uma trilha sonora instrumental: dispondo de duas guitarras – além de amplificadores e pedais de efeitos – os dois músicos procuram acrescentar às cenas uma linguagem associada ao rock’n’roll, valendo-se de efeitos, ruídos e outras distorções do som, procurando não somente a criação de melodias e temas, mas também a criação de texturas/ambientes sonoros. Há também uma interação cênica entre os dois músicos (ou as duas guitarras) e os dois atores: os quatro pulsam juntos, abrindo mão de marcações para a mudança das cenas e valendo-se da pulsão do presente para caminharem juntos pelo roteiro de ações.
   “Toda a relação amorosa proposta pelo escritor está nas entranhas que nossa mente cria ao construir um pensamento. As informações chegam: os olhares, os abraços, o cheiro, os sons ganham outra perspectiva neste tipo de relação, tomando proporções que até chegamos a duvidar. Como pode isto estar passando pela cabeça desse rapaz? Assim, simplesmente passando, como um pedestre na calçada.”

(Texto: Felipe Stocco)

segunda-feira, 29 de julho de 2013

30 anos de Borra... 4 anos para o asfalto!

Foto: Márcia do Carmo
   Vamos falar no processo de revitalização da malha viária que apesar de muito cara é extremamente necessária.
   Algo entre 800 milhões a 1 bilhão de reais é o valor do investimento para revitalização total da malha viária macapaense, valor inviável para um ano apenas já que estamos falando de mais ou menos 20% do valor colocado pelo Ministério das cidades para o Brasil todo.
   Mas vamos ser coerentes, esperar 4 anos para resolver um problema desses por completo não é nada para quem passou a vida dirigindo na superfície da lua.
    Esqueça operação tapa buracos e essas outras medidas paliativas tomadas em época eleitoral, as ruas devem ser refeitas, o escoamento reestruturado e a sinalização revitalizada ou reprogramada em alguns lugares. A cidade vive em um caos viária causado por anos e anos e governos sem compromisso, colar a culpa em quem acabou de chegar é no mínimo um atestado de ignorância.

Praças revitalizadas e a do coração é a primeira..

 
Foto: Márcia do Carmo
   A prefeitura está trabalhando na revitalização dos logradouros públicos, um exemplo deste empenho é a revitalização da praça do coração que será entregue a comunidade na próxima terça-feira, 30, às 16hs.
  A reforma deste único espaço público na comunidade é uma reivindicação antiga dos moradores que foi atendida pelo prefeito, comprovando a promessa de manter o dialogo com a população.
  A praça ganhou novos brinquedos em seu parque, a Guarda Municipal ganhou uma guarita para manter a segurança, espaços para lanchonetes, bancos e área gramada com arbustos e meio fio. Para a reforma  foi feito um investimento de R$ 300 mil.
   Também estão sendo revitalizadas a praça do entorno do Complexo Céu das Artes, Praça do Santa Inês, Rodovia do Curiaú e Arena de Esportes do Coração. 
   Vário outros logradouros em toda capital que receberam pequenos reparos, reposição de areia, limpeza, reforma de quiosques e reparos nos bancos e calçadas.

sábado, 27 de julho de 2013

Eu podia estar matando, eu podia estar roubando.. mas estou em reunião!!


Os partidos mais bem avaliados pelos jornalista

         De acordo com os jornalistas que cobrem o Congresso, os partidos com as melhores bancadas no Parlamento brasileiro são, em ordem decrescente, Psol, PDT, PSB, PCdoB e PT. Os jornalistas manifestaram suas impressões ao participarem da etapa inicial de votação do Prêmio Congresso em Foco 2013.
   Para os 166 jornalistas que votaram, o Psol é, de longe, o partido de melhor desempenho na Câmara e no Senado. Mesmo tendo apenas um senador e três deputados federais, todos indicados pelos jornalistas para a lista dosmelhores do ano, o Psol teve o segundo maior número de votos, dentre as 23 agremiações partidárias que possuem representantes no Congresso Nacional.

   A legenda, criada em 2004 por dissidentes do PT insatisfeitos com os rumos do governo         Lula, recebeu no total 246 votos (cada jornalista podia votar em até dez deputados e cinco senadores). Somente o PT recebeu votação maior – 268 votos. A diferença é que o partido do governo possui 89 deputados federais e 12 senadores.

   Em média, os parlamentares do Psol tiveram 61,5 votos cada um. Muito distante do segundo colocado, o PDT, que teve uma média 6,7 votos. Vieram em seguida o PSB, com 3,5 votos; o PCdoB, com 2,9; e o PT, com 2,7.

   Sete legendas com representação no Congresso não tiveram nem um voto sequer dos jornalistas nas categorias gerais “Melhores Senadores” e “Melhores Deputados”. São elas: o PRB, que tem 10 deputados e um senador; o PMN, que possui três deputados federais; o PEN e o PRP, ambos com dois deputados cada; e PHS, PRTB e PSL, todos com um deputado.

   O Psol também encabeça a lista dos partidos com maior percentual de integrantes citados pelos jornalistas, já que 100% dos seus parlamentares receberam votos. Em percentual de citações, seguiram-se o PCdoB, com 46,7% de citações; o PPS, com 45,4%; o PT, com 40,6% e o PSB, com 36,7.

   Conforme o item 11 do regulamento do prêmio, não foram computados os votos dados a parlamentares que são objeto de inquéritos ou ações criminais em andamento no Supremo Tribunal Federal.

   O regulamento confere à sociedade, por meio de votação na internet, a atribuição de definir a lista final dos premiados e a colocação de cada um deles.

Por Silvio Costa e Felipe Aguiar

Prefeitura de Macapá promove 4ª Conferência Municipal do Meio Ambiente

   A Prefeitura de Macapá, por meio das Secretarias Municipais do Meio Ambiente (Semam) e de Manutenção Urbanística (Semur), promoverá nos dias 1º e 2 de agosto, no auditório do Museu Sacaca, a 4ª Conferência Municipal do Meio Ambiente. No evento serão debatidos os eixos temáticos: a produção e consumo sustentáveis, geração de emprego e renda, redução dos impactos ambientais e educação ambiental.

   O objetivo da conferência é discutir propostas com base na Lei 12.305/2010, que  institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) como marco regulatório na gestão dos resíduos produzidos em todos os setores da atividade econômica, sendo assim um espaço no qual é possível debater a respeito de problemas, soluções, diretrizes, ações e políticas públicas que tratam sobre o meio ambiente.

   “É de suma importância esses debates, pois deles sairão projetos consolidados, que serão discutidos nas conferências Estadual e Federal, levando-se em consideração o foco principal, que é a destinação dos resíduos sólidos de Macapá”, comenta o secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Souza.

   O Ministério do Meio Ambiente propôs a realização de conferências em todas as unidades federativas, para que seja discutida com a sociedade a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Adequação à Lei

   O município de Macapá, em cumprimento as exigências da Lei 12.305/10 (PNRS), implantou em fevereiro deste ano, uma célula do aterro sanitário. A capital contava com o aterro controlado, que é um intermédio entre o lixão e aterro sanitário. Como a área já estava com a vida útil esgotada há anos, o prefeito Clécio Luís, logo que assumiu a prefeitura, exigiu da empresa que administra o aterro a criação de uma nova célula, sendo que dentro das exigências da lei.

   Macapá ainda está caminhando para o cumprimento de 100% do que está prescrito na lei. Em maio de 2013 foi implantado o projeto piloto de coleta seletiva, abrangendo dois bairros da capital: Universidade e Zerão. “Sabemos que ainda é pouco, mas é preciso que o trabalho inicie para que a população aprenda a importância da segregação correta de resíduos. A conferência traz isso, as palestras que serão apresentadas mostrarão em que situação vivemos e como podemos buscar caminhos para resolver problemáticas do descarte dos resíduos”, afirma o secretário da Semur, José Mont’Alverne.

   Somente em 2012, o município gerou aproximadamente 172.851,01 toneladas de lixo. De acordo com o Departamento de Gestão Sustentável de Resíduos Sólidos da Semur, esse quantitativo vem aumentando a cada dia.



Programação

Data: 01/08

Local: Museu Sacaca

- Credenciamento e apresentação cultural – 14h

- Abertura oficial – 16h

- Plenária – 17h

- Coquetel – 18h

- Painel de Resíduos Sólidos – 19h

- 1ª palestra: Impactos Ambientais – 19h30

- 2ª palestra: Geração de emprego e renda – 20h10



Data: 02/08

Local: Museu Sacaca

- 3ª palestra: Educação ambiental – 8h30

- 4ª palestra: Produção e consumo sustentável – 9h10

- Lanche – 10h

- Debate: grupos temáticos – 10h30

- Almoço – 12h

- Consolidação das propostas – 13h30

- Eleição por segmentos – 15h30

- Leitura final das ações priorizadas – 18h30

- Coquetel de encerramento – 20h

Aline Brito/Asscom Semur

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Neymar dribla incidente com Messi para chegar ao Barça.


Antes de a negociação com o Barcelona chegar na reta final, Neymar teve que superar um desconfortável episódio envolvendo Messi.

Da Espanha vinham notícias de que o argentino não queria o brasileiro no time. O estafe de Neymar indagou se ele estaria disposto a encarar a hostillidade de Messi.
“Tem bola lá? Então deixa que resolvo. Meto  um monte de bola pra ele, e tá tudo resolvido”, disse o brasileiro para sua equipe pessoal na ocasião.
Mas, pouco depois, Messi negou que não queria Neymar. O argentino Montillo mandou uma mensagem de celular para o Brasileiro em nome do astro do Barça negando as declarações agressivas e abrindo as portas do Barcelona para o brasileiro.
Representantes do Barça falam que o episódio foi fruto de intríga de gente interesssada em ver Neymar no Real.
Fonte: Blog do Perrone

Porta dos fundos de hoje: Aula de segunda

Alteração de data da 5ª Conferência Municipal das Cidades

Para ampliação do debate e participação do maior número de municípios, comunicamos que a 5ª Conferência Municipal das Cidades, que seria realizada na segunda-feira, 27, foi transferida para os dias 22 e 23 de Junho.

A 5ª Conferência Municipal das Cidades visa discutir os desafios e as soluções para se transformar o município em um espaço mais justo, com seguridade à cidade e à cidadania.

Durante a Conferência Municipal serão definidas as diretrizes a serem debatidas na Conferência Nacional. O material deve subsidiar os debates da Política Nacional de Desenvolvimento Urbano e as prioridades de atuação do Ministério das Cidades.

Mudanças de horário e local serão comunicadas com antecedência.

A “grita” dos bolsistas profissionais aponta o caminho do PT em 2014

Artigo do Jornalista Roberto Gato
 
Ao se analisar o governo do PT invoca-se de forma positiva a continuidade da política econômica brasileira, implantada no governo do PSDB, porém iniciada pela vítima das oligarquias políticas Fernando Collor de Melo. Esse é um aspecto. O outro e por aí para, são os tão decantados avanços sociais.
Nesse particular, as análises numéricas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística dão eco. Os programas como o Bolsa Família, que já foi Bolsa Escola foi um paliativo criado no governo brasileiro do PT, primeiro para empanar de forma acintosa a incompetência do governo para atuar com responsabilidade e eficiência em dois pilares da gestão pública. Educação e desenvolvimento econômico, a partir do incremento no setor privado.
É evidente que os adágios populares são pródigos e disso ninguém ousa duvidar. Dar o peixe é sempre o pior caminho encontrado para solucionar a fome de uma família. Dê o anzol e ensine a família a pescar o próprio peixe. Será para sempre provida à mesa, pois o ofício foi aprendido. Mas quem quer resolver o problema da ignorância e da miséria no Brasil? O Partido dos Trabalhadores? Ta brincando. Vamos falar sério. O que esses programas de transferência de renda criaram no Brasil foi uma legião de preguiçosos e que não querem trabalhar, pois se acostumaram a enfrentar as filas, pelo menos isso, para se inscreverem nos programas do governo federal, estadual e municipal, onde existem e, a partir dali ser mais um a somar aos milhões que vivem de papo pro ar com o dinheiro da sociedade economicamente ativa.
O boato de que esse malfadado programa seria extinto pelo governo federal deu o tom para o Brasil e para os governantes de quanto ele é importante para tantos jovens com idade na faixa etária de 23 a 40 anos que estão com belos e fortes corpos para fazer e parir filhos e jogá-los a custódia da sociedade. Os que os “manus longos” do estado não alcança se volta contra a sociedade produtiva que vira vítima e refém das frustrações desses brasileiros desafortunados e descobertos pelos programas de bolsa.
No Programa “Agora é Tarde” apresentado pelo humorista Danilo Gentilli, da Rede Bandeirante de Televisão, uma senhora com a cara da miséria, sem dente e cheia de marcas de expressão no rosto não teve constrangimento e disparou em uma entrevista a um canal qualquer de televisão: é preciso aumentar o valor da bolsa, R$ 120 reais não dá nem pra comprar uma calça jeans para uma menina de 16 anos que só querem calça de R$ 300 a 400 reais. É... Em muitos casos é só para isso que a Bolsa serve.
Na realidade o partido dos trabalhadores vislumbrou nesse “benefício” uma forma legal de comprar voto. Daí os índices de popularidade dos governos petistas serem tão altos entre os ignorantes e miseráveis e evidentemente em algumas camadas intelectualizadas comprometidas em dar discurso e razão teórica para esse tipo de alternativa de minimizar a pobreza no Brasil.
Quando eles e todos os que usam a razão sabem que o único caminho seguro para mudar essa realidade incômoda e que nos empurra para uma guerra civil entre concidadãos brasileiros é investir seriamente na educação, dando oportunidade igual a todos de terem uma escola de qualidade, onde o professor seja valorizado e incentivado a estar sempre se aperfeiçoando. E isso se faz com salário digno e as escolas que não sejam apenas prédios de concreto frio, construídos através dos acertos licitatórios superfaturados e que em pouco tempo estejam rachando e prestes a desabar na cabeça de quem ficar debaixo desse teto, mas com biblioteca informatizada, merenda, e laboratórios para formar a mão de obra de um Brasil que olha para os seus pensando num amanhã promissor. Somos um País de hipócritas, fazendo de conta que estamos preocupado com o bem estar do outro, na verdade estamos apenas usando da estratégia paliativa de matar a fome de quem tem fome é de saber e de uma profissão. Mas é necessário que tenhamos empresas (indústria, comércio e serviço) esperando essa mão de obra qualificada que pode sair das Universidades e Escolas Técnicas. Se não for essa proposta, esquece. É fisiologismo puro, Retórica.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

PMM vai remanejar famílias para iniciar construção do residencial São José.

Elton Tavares – Asscom PMM

 
A Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) realizou no sábado, 18, no Auditório da Escola Estadual Gabriel de Almeida Café (EEGAC) reunião com representantes das 90 famílias que residem em regime de invasão numa área do bairro Buritizal, onde será construído o residencial São José, na zona Sul da capital. A reunião teve como objetivo comunicar às famílias que, para que as obras possam ser iniciadas, a PMM terá de remanejá-las até o dia 5 de junho.
Durante o encontro, técnicos das Secretarias Municipais de Ação Social e Trabalho (Semast) e de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh) explicaram como se dará esse processo de remanejamento e os requisitos para se garantir o aluguel social, que será pago pela PMM.
Conforme o titular da Semast, Gilvano Moraes, ao todo 139 famílias moram na área, mas somente 90 precisam de remanejamento. Ele garantiu que a PMM acolherá 49 dessas famílias com Aluguel Social no valor de R$ 350,00, via instituição bancária, como auxílio para moradia digna. O secretário destacou que a Lei garante ao município a retirada das pessoas do local, já que a área é da Prefeitura, mas a responsabilidade social com os cidadãos é um compromisso da gestão municipal.
Gilvano Moraes ressaltou que os beneficiários foram comprovadamente identificados como de alto risco de vulnerabilidade social e que, como cidadãos carentes, precisam da ajuda de custo. O secretário disse ainda que as outras 41 famílias que não entrarão no aluguel social vão poder pleitear apartamentos no residencial São José.
“Se as famílias não encontrarem uma moradia com aluguel no valor até R$ 350,00, o cidadão complementará o valor, pois o beneficio está dentro da condição financeira da PMM. Não queremos simplesmente retirar os moradores da área, essas famílias terão direito prioritário aos apartamentos do São José, pois a gestão do prefeito Clécio Luís tem como prioridade o diálogo, por isso debatemos e explicamos aos cidadãos sobre a obra, o aluguel social e o remanejamento”, salientou Gilvano Moraes.
Por sua vez, o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh), Éden Paulo, afirmou que essa é a melhor solução para garantir moradia para as famílias. Ele enfatizou que a PMM está conduzindo o remanejo com muita responsabilidade e rigidez, para garantir que oportunistas não tirem proveito da situação.
“Precisamos desocupar a área pra obra iniciar. Se isso não ocorrer, corremos o risco de não conseguir habilitar o município em outras iniciativas similares do Governo Federal. Essas pessoas assinaram um termo de prioridade e ciência, que garante que as famílias concorram a um apartamento no residencial São José. A prioridade é para pessoas que moram ou trabalham próximo ao empreendimento. Isso é um compromisso do município”, frisou Éden Paulo.
Ao final da reunião, ficou acertado entre município e moradores que uma Audiência Pública será marcada, com a presença do prefeito Clécio Luís e famílias, com data a definir, para debater o tema e melhorar o acolhimento aos cidadãos. O encontro ocorrerá nos próximos dias. Além disso, na próxima quarta-feira, 22, às 16h, ocorrerá uma plenária com as 49 famílias a serem beneficiadas com o Aluguel social. A comprovação, por meio de contrato, é fundamental para que a família receba o benefício.
Conjunto São José
O conjunto habitacional São José consiste em 1.440 unidades habitacionais e atenderá famílias com renda mensal de até R$1.600,00. A obra iniciará em junho de 2013, com previsão para conclusão em 18 meses. O empreendimento vai gerar 1.500 empregos diretos e indiretos.
A obra é fruto de convênio assinado pela PMM e a Caixa Econômica Federal (CEF/AP). A construtora Direcional Engenharia S.A. é a responsável pela obra. O residencial integra o programa do Governo Federal "Minha Casa Minha Vida", lançado em 2009, com o objetivo de diminuir o déficit habitacional existente no país e oferecer moradias dignas para famílias brasileiras.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Escola Sesc de Ensino Médio abre inscrições para estudantes de todo o Brasil.

 
A Escola Sesc de Ensino Médio (ESEM) abre as portas para os jovens de todo o Brasil. A pré-inscrição começa dia 20 de maio nas unidades do Sesc e estará aberta a todos os estudantes nascidos de 01 de janeiro de 1998 até 31 de dezembro de 2000, que estejam concluindo o Ensino Fundamental em 2013 ou já tenham concluído.
   A pré-inscrição do processo de admissão da ESEM será feito exclusivamente pela página da internet da Escola Sesc (www.sescamapa.com.br) e poderá ser realizada no período de 10h do dia 20 de maio de 2013 às 18h do dia 14 de junho de 2013 (horário de Brasília).
   Após a inscrição os candidatos devem ficar atentos a página de confirmação da inscrição e ao seu número de registro, além é claro de acompanhar as atualizações referentes ao processo no site da Escola Sesc.
   Com a confirmação da pré-inscrição o candidato e seu responsável deve procurar no período de 19 à 28 de junho a unidade da Escola Esem no Amapá, que está localizada dentro da Escola Sesc, na Avenida Jovino Dinoá Nº4311, Beirol e assim concretizar a sua inscrição.
   Para a concretização da inscrição o candidato deve levar duas fotos 3x4; certidão de nascimento ou carteira de identidade; declaração que comprove que o candidato está concluindo ou já tenha concluído o  ensino fundamental e comprovante de residência.


O processo seletivo será divido em quatro etapas:
1ª Etapa: Prova objetiva envolvendo conhecimentos de Matemática, Língua Portuguesa, Ciências das Naturezas, História e Geografia;
2ª Etapa: Observância dos critérios enunciados no edital do Processo Seletivo contido no site da Escola;
3ª Etapa: Prova de Redação;
4ª Etapa: Entrevistar realizada com Diretores e Coordenadores da Escola Sesc de Ensino Médio (ESEM).

Mais Informações no Site www.sescamapa.com.br

Marília Góes é investigada pelo Ministério Público Estadual.

Foi recebida na tarde desta quarta-feira, 15 de maio, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AP) denúncia que resultou na instaurção de uma ação penal contra a deputada estadual Marília Góes (PDT). O caso é baseado em fato ocorrido em uma reunião que Marília realizou na Sede dos Pescadores, nas eleições de 2008, a deputada pediu votos aos beneficiários do programa social Renda para Viver Melhor para o então candidato a prefeito de Macapá, Roberto Góes.
A ação foi proposta pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) em desfavor de Marília e informa que, na reunião citada, estava presente a esposa do governador em exercício na época Waldez Góes e secretária de Inclusão e Mobilização Social, MARÍLIA GÓES, que deixou bem claro aos ouvintes que “deveriam votar em ROBERTO GÓES, número 12, pois, caso contrário, não receberiam mais o auxílio estadual”.
A reunião ocorreu na sede da Associação dos Pescadores cituada no bairro Perpétuo Socorro, onde, segundo o MPE, “era pública e notória a ligação entre MARÍLIA GÓES e o candidato ROBERTO GÓES, e que, na citada reunião, foi solicitado aos beneficiados que apresentassem o título de eleitor e assinassem uma lista”.
Pra finalizar o MPE pediu a declaração de inelegibilidade por três anos de todos os investigados, aplicação da sanção prevista no art. 299 do Código Eleitoral à MARÍLIA GÓES e a cassação do registro de candidatura de ROBERTO GÓES.
Naquele mesmo momento a polícia federal realizava busca e apreensão na SIMS, e conseguiu provas documentais da utilização dos programas sociais para fins eleitoreiros durante a campanha de Roberto Góes.

Semdec inicia inscrições para escavação de viveiros do Edital de incentivo à piscicultura.

  Iniciaram ontem, 15 de maio, as inscrições para a solicitação de escavação de viveiros para peixes, previstas no Edital lançado pela Semdec no dia 10 deste mês. As inscrições encerram no dia 15 de junho, e somente agricultores familiares podem requerer a escavação. A meta é de em dois anos atender em torno de 100 aquicultores, com tanques prontos, de até 1.500 m².

 O edital prevê ainda a doação de peixes aos aquicultores, para que iniciem a movimentação dos criadouros e da renda familiar. O Programa de Apoio à Piscicultura vai adquirir cem mil alevinos (tambaqui, pirapitinga e seus híbridos), para serem doados aos agricultores selecionados.
 Seu Gutinel Costa Amanajás, de 55 anos, foi o primeiro a se inscrever no Departamento de Fomento à Aquicultura.  Morador do Pólo da Fazendinha e filho de agricultor, ele aposta na melhoria da renda, com mais uma atividade.
 “Foi uma decisão acertada do prefeito Clécio. O município sem sombra de dúvida só tem a ganhar com este investimento econômico, para nós, que sempre dependemos da agricultura familiar, ganhamos mais oportunidade de gerar emprego e renda. Para se ter uma ideia, um tanque medindo 20m por 30m (20x30), custa em media 8 mil reais a escavação. Minha propriedade necessita hoje de dois tanques, o que quer dizer que eu economizei 16 mil reais. Nunca o município tinha se preocupado em dar atenção para nós de classe menos favorecida”, ressaltou o agricultor.
 A expectativa, de acordo com o secretário José Oliveira, é de que em um período de um ano cada aquicultor atinja uma produção de até duas toneladas de peixe. De acordo com o edital, o período das escavações para este ano está marcado para 01 de julho a 31 de dezembro.

O Plano municipal de apoio à Piscicultura.



  Se adequa ao Plano Safra da Pesca e Aquicultura, do Governo Federal, que tem como meta dobrar a produção de pescado no Brasil em apenas dois anos. O Ministério da Pesca e Aquicultura tem como meta simplificar a legislação para a criação de pescado em grandes reservatórios públicos do Brasil, de forma a aumentar a produção nacional. 

 A medida teria grande impacto. O Brasil conta com mais de 250 grandes reservatórios públicos adequados à piscicultura.  A atual produção nacional de pescado não representa nem 10% do potencial estimado pela FAO, de 20 milhões de toneladas.
  Para mais informações, o agricultor familiar deve procurar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município, localizado na Avenida Manoel Eudóxio Pereira, nº 2438, bairro Trem.

Maitê Mastop - Asscom Semdec

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Apesar de você.

Artigo do Gato
Artigo escrito pelo jornalista Roberto Gato.
 
A decisão da executiva do Partido dos Trabalhadores, reunida com apenas sete dos treze membros decidiu que seus filiados não podem tecer comentários desabonadores a gestão do Partido Socialista Brasileiro (PSB) cuja coligação ganhou a eleição para o governo do Estado.
Essa união dos dois partidos não foi abençoada plenamente pelas lideranças petistas locais. Dalva Figueiredo, por exemplo, se mostrou contrária a união, porém com minoria na executiva do partido foi voto vencido. Hoje quem comanda o PT são figuras foscas, sem brilho e sem voto popular. Joel Banha um parlamentar sem grandes projeções legislativas e uma figura fechada, de pouca fala e sem o traquejo no trato com as pessoas, habilidade indispensável na boa relação pública. Dora Nascimento, atual vice governadora do Amapá, uma militante com vistas voltadas aos espaços de poder granjeados pela sua posição, mas sem o topete para se impor como liderança política do maior partido político do Brasil e com o mais importante cargo deste País nas mãos. Presidência da República.
Ambos atiraram no que viram e acertaram no que não viram. Dalva estava certa na sua análise conjuntural. O PSB queria tão somente palanque para Capiberibe e Janete. Sabiam os socialistas que suas chances de acessar o Setentrião eram remotíssimas, diria impossível, mas uma operação da Polícia Federal realizada as véspera da eleição os colocou no páreo e o resultado é que vivenciamos. Uma catástrofe para o Amapá. A inexpressividade do grupo político de Joel e Dora está retratada na derrota de Joel para a Assembléia Estadual e de sua irmã, Izídia Banha para edilidade.
Agora de forma arbitrária e sem mais uma vez pensar no PT um fragmento majoritário da executiva toma essa decisão. Amordaçar os petistas, logo eles que foram forjados nas quentes lutas contra a ditadura. Um partido político com uma biografia construída pelo enfrentamento daqueles afeitos ao imperialismo capitalista. No Amapá petista tem de andar olhando para baixo e sem opinião. Os membros do maior partido brasileiro são proibidos de enxergar, de ouvir e de sentir. São “zumbis” que vagueiam sem olfato, paladar e tato. Mortos vivos. Aonde chegou o PT. Um partido político que a cada dia se acapacha subservientemente para atender a ambição deste casal pelo poder. Joel Banha, deputado derrotado nas urnas sonha com o Tribunal de Contas e, Dora Nascimento, imagina uma carreira no legislativo, pois com um partido que perde identidade e densidade eleitoral, fatalmente a cadeira de vice deve está na mesa de negociação do PSB para atrair parceiros mais interessantes.
Reage PT, nem a voz de um de seus maiores líderes José Dirceu que em plenária afirmou de forma categórica que Camilo Capiberibe não honra o que apalavra serviu para encorajar o risível PT amapaense de Dora e Joel e vice versa, tanto faz nesse caso a ordem não altera os fatores mesmo. Se prostram ao pé de Camilo e pedem desavergonhadamente pelo amor de Deus ao PSB para que continuem a comer as migalhas de poder que ainda lhes cai nos cacos de pratos que seguram as mãos tal qual mendigo a pedir pelo amor de Deus pela benevolência dos transeuntes.
Embora não seja filiado a partido político confesso que foi o PT e seus ideais que me levaram um dia as ruas para, vestido a caráter, de vermelho, pedir voto para a Dalva. Hoje, esse PT medíocre, submisso, sem voz, não me apetece. Estou com nojo deste PT do Amapá. Não sei classificá-lo, talvez não tenha competência para tal. Mas você militante histórico pode dizer ao Amapá que PT temos.

Chico Buarque de Holanda fez um hino à ditadura, mostrando que tudo passa e cantou assim: Apesar De Você